13/03/2018 08:18:37
Paschoal Cataldi - O Homem espiritual
Ler e entender
Crédito: Esboçando Ideias/ ArquivoA leitura que implica na interação entre um escrito e o leitor
Paschoal Cataldi é empresário e escritor

Ao estudar a leitura em si, temos o entendimento de considerar o entrosamento como uma forma de decodificar palavras, de procurar sentidos prontos na escrita. Pesquisando essa habilidade, percebe-se que para muitos é difícil compreender a diferença que existe em textos escritos. Sendo assim, sabemos que a leitura é uma atividade bastante complexa, na qual o leitor tem de produzir sentidos a partir do entendimento que estabelece entre as informações da leitura e seus conhecimentos.

Como atividade pode-se compreender que quando se lê, está se formando uma série de intervenções mentais que ultrapassam a decodificação, apresentando-se estratégias, algumas inconscientemente e outras conscientemente. Esse estudo deu-se devido à dificuldade de leitura (entendimento) de livros aqui dados, como exemplo, a Bíblia, uma leitura classificada para muitos como de difícil entendimento, principalmente nos trechos em que o Mestre Jesus pronuncia-se em parábolas.

Aqui classificamos a Bíblia como atividade sócia-religiosa, uma leitura que implica na interação entre um escrito e o leitor, que se encontram distantes em entendimento, mas na intenção de se comunicar. Faz-se isso na procura de condições muito específicas, pois cada qual tem seus próprios objetivos a atingir (tanto a escrita quanto o escritor) suas expectativas quanto ao seu conhecimento de mundo.

Você já pensou em quanto a leitura é importante em nossa vida? Agora pare um pouco para pensar como adquirir o entendimento daquilo que se lê, quantas ações compreensíveis e incompreensíveis estão a nossa frente? O entendimento busca o sentido nato do acontecimento descrito, deixando de lado firulas e controvérsias. No caso da leitura da Bíblia, deparamo-nos com um palavreado que podemos interagir criando um entendimento que muitas vezes divergem de nosso raciocínio.

Tudo isso acontece porque esse escrito vem no sentido de recado, de ensinamento, buscando convencer, mostrar o caminho a seguir, imergir no imaginário, trazendo através da leitura o indicativo da fé, da esperança, da memória. Porém, não basta entender, essa leitura apoia-se na fé, e é preciso conferir para não sucumbir ou ser manipulado. É preciso saber estabelecer relações entre as várias informações disponíveis que também já fazem parte de um conhecimento contido.

Citando como estudo a Bíblia, devemos procurar saber ler e compreender não somente o que está escrito nas linhas, mas o que está por trás delas, o duplo sentido, as intenções, que muitas vezes ficam apenas delineadas, que não são explicitamente codificadas. Se possuirmos habilidades suficientes para processar a informação e soubermos utilizá-las no momento certo, muito provavelmente teremos mais sucesso para atingir nossos objetivos.

Entender a leitura da Bíblia pode demonstrar que se está qualificado a encontrar coerência em seus significados, em suas lições, afastando dogmas introduzidos nos textos maliciosamente, fugindo assim da real verdade, do entendimento, sabendo muitas vezes que o sentido não é uma propriedade do texto, e sim um contexto concreto de comunicação, diferenciando o real do que se está tentando impor.

Quando começarmos a compreender a leitura religiosa dessa forma, começamos a transformar os ensinamentos descritos em caminhos iluminados a seguir, levando como estandarte a bandeira da sabedoria.