06/06/2018 11:16:29
Ivaldo Pinto - Turismo em Pauta
Juazeiro do Norte, um oásis de prosperidade no sertão do Ceará
Crédito: DivulgaçãoPrefeitura de Juazeiro, uma cidade bonita, confortável e progressista
Ivaldo Pinto é jornalista

Quem não conhece o Juazeiro do Norte – a terra de Padre Cícero – faz uma imagem de uma típica cidade nordestina pouco desenvolvida. Ledo engano. O Juazeiro é, em verdade, uma próspera e acolhedora cidade, a segunda maior do Ceará, com uma população estimada de 270 mil 383 (IBGE 2017), e a terceira em arrecadação, ficando atrás de Fortaleza e Caucaia, na área metropolitana da capital alencarina.

Localizada na região metropolitana do Cariri, a 499 km de Fortaleza, Juazeiro é uma cidade polo onde pontificam indústrias nos mais variados setores, com destaque para a de calçados, ocupando o terceiro lugar no ranking nacional, ficando atrás de Franca (SP) e Novo Hamburgo (RS). Comércio pujante, com o funcionamento de redes atacadistas (a exemplo da alagoana Carajás, inaugurada recentemente) e de varejo, além de shopping centers. Destaca-se também no variado e rico artesanato encontrado facilmente no centro comercial da cidade.

Considerada uma das melhores cidades brasileiras, com relação à mobilidade e acessibilidade, Juazeiro, que tem até metrô de superfície (em forma de VLT), é ligada por duas rodovias federais e seis estaduais. A cidade é também um celeiro da cultura regional, com diversas manifestações, destacando o rico artesanato, e se destaca ainda pelo seu polo de ensino superior com 72 cursos de graduação, acolhendo 22 mil alunos de todo o país. O centro acadêmico conta ainda com 53 cursos de pós-graduação em diferentes áreas.
A terra do Padre Cícero é conhecida no Brasil e no mundo pela sua religiosidade. Por isso, o turismo religioso é forte e atrai um grande número de romeiros de todo o Nordeste nas quatro festas que são realizadas por ano, sendo a principal em novembro, Dia de Finados, segundo informa o secretário de Turismo e Romaria, José Bezerra Feitosa Júnior. “Alagoas é um dos Estados que mais enviam romeiros ao Juazeiro.”

O secretário acrescenta que Juazeiro se destaca também nas manifestações culturais, com ênfase para o artesanato, literatura de cordel, gastronomia, folclore entre outros. Com relação as principais atrações turísticas da cidade, ele cita a Estátua do Padre Cícero, Arajara Park, Museu Vivo, Basílica de São Francisco, além de restaurantes e bares, sem esquecer o Geopark Araripe, na vizinha cidade do Crato, o primeiro das Américas a ser reconhecido pela Unesco.

A propósito, Júnior Feitosa, como é mais conhecido, assumiu a presidência do Conselho do Desenvolvimento do Cariri (Condetur), em cerimônia realizada no Engenho Tupinambá, em 26 de maio passado.

Com relação à hospedagem, o secretário afirma que Juazeiro detém a maior rede hoteleira da região do Cariri com mais de três mil leitos em empreendimentos modernos espalhados pela cidade, afora cerca de 200 restaurantes, que servem saborosos pratos da comida regional e internacional. Ainda de acordo com Júnior Feitosa, Juazeiro está pronta para o turismo, seja religioso, de lazer e de negócios, acrescentando que o Aeroporto Regional do Cariri contribui substancialmente para o desenvolvimento do setor, uma vez que conta com oito voos diários, e dez na alta temporada.

Notas

* A cidade de Bonito, no Agreste pernambucano, distante 130 Km do Recife, é conhecida por suas cachoeiras e bonitas paisagens e conta agora com mais uma atração turística: o teleférico Governador Eduardo Campos que liga o Pátio de Eventos e o alto da Capela de Nossa Senhora do Monte Serrat, em um trajeto de 1.200 metros. O equipamento transporta até 92 pessoas por hora e foi entregue, em meados de maio passado, pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Turismo Esportes e Lazer, através do Prodetur. O teleférico comporta duas cabines subindo e duas descendo e tem capacidade para transportar até quatro pessoas sentadas por cabine. Os ingressos custam 30 reais por pessoa e 15 reais meia entrada. A gestão do equipamento está a cargo da Agência de Desenvolvimento de Bonito (ADBONITO) e o controle e fiscalização pelo Conselho Municipal de Bonito.

Hesíodo Góes
Teleférico de Bonito, a mais nova atração turística da cidade

* O destino Alagoas, com seu invejável potencial turístico, foi divulgado e comercializado, entre os dias 25 e 26 de maio, no Centreventos Governador Luiz Henrique da Silveira, em Itajaí (SC), por ocasião da Bolsa de Negócios Turísticos (BNT) Mercosul 2018, em sua 24ª edição. A participação alagoana se deu em parceria com o trade turístico, envolvendo a Secretaria do Desenvolvimento Econômico (Sedetur), Secretaria Municipal de Turismo de Maceió (Semtur) e Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-AL). No espaço de Alagoas no estande do Ministério do Turismo, viabilizado pela Sedetur, além da divulgação e realização de negócios, houve capacitação para mais de 90 agentes de viagens. A BNT Mercosul 2018 teve a participação de 5.410 profissionais de turismo, 21 Estados brasileiros, 6 países, 93 estandes, mais de 350 marcas e 140 jornalistas.

Ivaldo Pinto
As belezas de Alagoas foram exibidas na BNT Mercosul

* “São João de Maceió é Praia, Festa e Forró” é o tema dos festejos juninos da capital alagoana que acontecem de 22 a 30 de junho no tradicional bairro de Jaraguá, com atrações nacionais como os cantores Batista Lima, Cezinha, Léo Magalhães, Marília Mendonça e Gusttavo Lima. Amplo espaço foi reservado para os festejos juninos do Coreto do Jaraguá até a Praça Dois Leões, e haja animação. Além das atrações do palco principal, o São João de Maceió contará com 12 bandas e 30 trios de forró Pé de Serra e seis bandas de música alternativa do “Arraial Forrock”. A prefeitura também está apoiando os festejos juninos organizados nos bairros de Maceió, contemplando 50 comunidades. A abertura do São João 2018 será no dia 21 de junho com o Trem do Forró, que parte da estação do Jaraguá até o bucólico bairro de Fernão Velho, e animará os passageiros com autêntica música nordestina.

 

 

Lançamento do livro será em agosto

* Com o fito de resgatar não somente as origens da cozinha em Alagoas, bem como difundir um pouco da história dos restaurantes, dos pioneiros aos contemporâneos, o jornalista Claudio Bulgarelli vai lançar em agosto, em data a ser marcada, o livro A História da Culinária Alagoana. O exemplar, com mais de 150 páginas é dividido em dois capítulos. O primeiro revela fatos da culinária no Estado desde os primórdios, com ênfase para a cozinha francesa, portuguesa, holandesa, africana, a comida dos engenhos, o cardápio do imperador D. Pedro II em sua visita a Alagoas, a comedorias de Maceió no início do século 20, os restaurantes de hotéis, o Bar das Ostras e as irmãs Rocha. O segundo capítulo aborda a origem da culinária e de seus restaurantes nos principais polos gastronômicos de Alagoas, começando por Maceió, Paripueira, Barra de Santo Antônio, São Miguel dos Milagres, Japaratinga e Maragogi, além da culinária do Sertão e da Região dos Quilombos.

Contato.: ivaldopintodebarros@hotmail.com