08/06/2018 15:32:35
Diversão e Arte
Wado apresenta trabalho de artista visual na exposição 'Euforia'
Crédito: Os multicoloridos quadros de Wado, segundo o próprio artista, não seguem regras técnicasOs multicoloridos quadros de Wado, segundo o próprio artista, não seguem regras técnicas
Da Redação do Alagoas Boreal

Pedro Lucena e Wado, o primeiro artista visual, ilustrador, o segundo cantor e compositor, confirmando uma vocação para as artes visuais, que, afinal, não é de hoje. Os dois realizam na galeria Galpão 422, no bairro central do Jaraguá em Maceió, a exposição “Euforia”, trabalhando as obras separadamente e em parceria. A abertura da mostra, com apoio da editora Imprensa Oficial Graciliano Ramos (que deve publicar este ano livro com ilustrações e letras de Wado), está marcada para esta sexta-feira (8), às 19h. Ficará em cartaz até 27 de julho, de terça a sexta-feira, no horário das 16h às 20h. A galeria fica na rua Celso Piatti, 422, próxima ao Centro Cultural e de Exposições Ruth Cardoso.

“O público poderá conferir peças que fogem dos trabalhos habituais de ambos os artistas”, observa a reportagem da agência de notícias do governo. “Lucena traz quadros multicoloridos em madeira, sem formato regular, e cabeças feitas em papel. Wado, por sua vez, vem consolidando sua carreira também como artista plástico, apresentando um trabalho experimental, mas consistente, com pinturas em tinta óleo sob papel kraft, utilizando também caneta bic e técnica de aquarela. Há duas telas realizadas a quatro mãos que prometem surpreender o olhar dos visitantes.”

Detalhe do quadro pintado a quatro mãos por Pedro Lucena e Wado

Para a galerista e curadora (e amiga dos artistas) Didi Magalhães, a euforia do título da exposição remonta à “felicidade” de os dois artistas voltarem a trabalhar com ela no Galpão 422. “Os quadros dessa exibição", explica, "transmitem esses sentimentos que transbordam, que não se contêm. A proposta de pincéis angustiados e a cabeça em todo lugar. A arte é o propósito, o caminho, são várias tentativas de fazer sem medo, querendo exorcizar o que não se exorciza. Euforia plena e latente.”

Pedro Lucena, por sua vez, diz que o tema, na obra que compõe, “é recorrente”. “Ele sempre vem à tona. Tento criar imagens, acessando os símbolos do inconsciente. É a maneira que encontrei de buscar o autoconhecimento espiritual. É a busca do artista pela elevação.”
Wado reconhece nos quadros que desenha e pinta uma sublimação de “algumas questões íntimas”. “E desde que me tornei pai, tenho retomado o jeito lúdico de observar a vida e isso se reflete nas telas recentes.”

“Euforia” é a terceira exposição de Wado. “Didi e Pedro", conta o artista, "foram um dos meus primeiros incentivadores. Por isso é tão gratificante trabalhar com eles. Pedro interviu em duas pinturas minhas, trazendo imagens de segundo plano, dando seu toque de mestre. Foi incrível essa experiência artística e gostaria repeti-la em breve.”