04/05/2018 10:36:46
Maceió
Agricultores do Movimento Via do Trabalho realizam feira no bairro do Prado
Crédito: Fotos/ Iteral/ DivulgaçãoUma grande variedade de produtos fresquinhos da agricultura familiar são vendidos na praça
Da Redação do Alagoas Boreal

O Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) é um dos apoiadores da quinta edição da Feira Agrária do Movimento Via do Trabalho (MVT), que foi aberta na quarta-feira (2) e prossegue até o meio-dia de sábado (5), na Praça da Faculdade, em Maceió.
Aberta na quarta-feira (2), a Feira Agrária do Movimento Via do Trabalho (MVT) prossegue até esse sábado (5), na Praça da Faculdade, no bairro do Prado em Maceió. O Instituto de Terras e Reforma Agrária de Alagoas (Iteral) apoia a ação, que comercializa uma grande diversidade de produtos agrícolas, entre os quais, frutas, verduras, tubérculos, farinha, feijão de corda e até animais, produtos artesanais e e comidas típicas.

“Na programação noturna, o público confere a apresentação de artistas locais com o melhor da MPB e o forró pé serra, com shows abertos ao público”, informa a agência de notícias do governo.

Na abertura da feira, coronel Paranhos disse que 'a reforma agrária é essencial para o desenvolvimento no campo'

De acordo com o informativo oficial, que cobriu a abertura da feira na quarta-feira, o diretor-presidente do Iteral, Jaime Silva, declarou que tais iniciativas “mostram o potencial da agricultura familiar, seja as que são organizadas pelos movimentos sociais ou as que nós, do Iteral, fazemos com as famílias beneficiadas no Programa do Crédito Fundiário”.

“Eu conheço a dificuldade que é para trazer os produtos até as cidades”, afirmou Jaime Silva, destacando a importância de “garantir o escoamento da produção” e de “valorizar o trabalho dos agricultores”.

Grande variedade de produtos agrícolas, mel e também animais são comercializados na Praça da Faculdade

Por sua vez, o coordenador do Centro de Gerenciamento de Crises da Polícia Militar, coronel Paranhos, observou que “a reforma agrária, assim como, o investimento na educação e saúde, é essencial para o desenvolvimento no campo”.

Segundo a liderança do MVT Marcos Antônio, o Marrom, uma média de cem feirantes oriundos de acampamentos e assentamentos rurais do Agreste, Sertão, Litoral e Zona da Mata participam da ação.

“Com essa feira”, reconheceu Marrom, “a gente mostra a nossa organização e força para combater a fome e a desigualdade social. Fico muito feliz em saber que muitos feirantes saem com o seu dinheiro após as vendas e conseguem comprar sua TV, utensílios para as suas casas e ainda equipamentos para continuar trabalhando na roça. A feira divulga a nossa luta.”