26/03/2018 12:17:11
Maceió
Organizações populares realizam vigília no centro da capital, em apoio ao ex-presidente Lula
Crédito: Fotos/ Paulo César MoreiraOrganização realiza oficinas de estêncil, batucada e lambe-lambe durante a parte da tarde
Paulo César Moreira

Em Maceió, nesta segunda-feira (26), uma vigília convocada por organizações populares acontece na Praça Deodoro, em apoio e solidariedade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Lula terá recurso de defesa no caso tríplex jugado nesta segunda, pela 8º Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre. A sessão prevista para começar às 13h30 vai contra a decisão, em segunda instância, do aumento da pena do ex-presidente, o chamado embargo de declaração da apelação criminal.

A vigília se estende até o fim do julgamento. Oficinas gratuitas de batucada, estêncil e lambe-lambe serão realizadas na parte da tarde. Panfletos estão sendo distribuídos aos transeuntes, por integrantes das organizações populares.

Foto/ Página Facebook
'Na história desse país ninguém foi tão perseguido, sem comprovação de nada, como Dilma e Lula', afirma Lenilda Lima

A ex-superintendente do Incra durante o governo Dilma, Lenilda Lima, afirma que “insistentemente, sem comprovação nenhuma, o poder judiciário quer caçar o direito da maior liderança popular de ser candidato”. “O que está em jogo", diz a ativista, "é a nossa democracia que é muito jovem. Nós que somos mais antigos, que lutamos pela redemocratização do país após o golpe militar, lutamos para que as instancias democráticas começassem a funcionar, hoje nós vemos um golpe camuflado, que vai cerceando o direito de escolhermos o projeto que queremos para o país.”

Lenilda relembra, ainda, que a perseguição a que se refere, feita pelo poder judiciário e por setores da sociedade civil, acontece devido aos “vários programas de governo realizados pelo ex-presidente”. “Devido à recuperação do salário mínimo, uma base social começou a ascender. Tudo isso criou esse ódio das elites, que não admitem dividir o espaço com aqueles que são das classes D e E. O grande problema do Brasil é a concentração de renda, a desigualdade social. O que incomodou as elites foi o governo que veio com esse propósito, de ter o olhar para as camadas mais populares e oportunizar políticas públicas. Na história desse país ninguém foi tão perseguido, sem comprovação de nada, como Dilma e Lula.”

Thati Nicacio, afirma que 'os movimentos populares, desde o começo do processo, denunciam essa perseguição'

A militante da juventude do Partido dos Trabalhadores (PT), Thati Nicacio, afirma que “os movimentos populares, desde o começo do processo, denunciam essa perseguição”. “Não acredito que as pessoas que arrastaram o processo até esse momento", avalia Thati, "tenham o interesse de parar. Não acredito que essas pessoas tenham o interesse de deixar que Lula seja candidato. Para que todo o ciclo se complete, ele precisa ser inviabilizado. Porque a gente sabe que ele é o candidato que ganha, porque o povo se identifica com ele. Isso incomoda as pessoas que construíram esse circo jurídico e midiático. Por isso fazemos estas atividades que acontecem no Brasil inteiro.”