05/02/2018 10:07:14
Sustentabilidade
IMA proibe a captura, beneficiamento e industrialização do caranguejo-uçá
Da Redação do Alagoas Boreal

Está valendo o período de defeso do caranguejo-uçá, o ucides cordatus. A captura do crustáceo fica temporariamente proibida. Também são proibidos, nesses intervalos estabelecidos pelo Instituo do Instituto do Meio Ambiente (o IMA), “o transporte, o beneficiamento, a industrialização e a comercialização de qualquer indivíduo da espécie durante a 'andada', que é quando os crustáceos saem das tocas para reprodução”.

Equipes do IMA, do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (o Ibama) e, também, do Batalhão de Polícia Ambiental realizam a fiscalização. Na semana passada, foram apreendidos 170 indivíduos das espécies uçá e guaiamum. “A captura tanto do uçá quanto do guaiamum (cardisoma guanhumi), quando inferiores a seis centímetros é vedada em qualquer época do ano, independentemente do período de defeso”, destaca o informativo do instituto ambiental enviado à Redação.

São três intervalos estabelecidos para a captura e negociação do caraguejo-uçá durante todo o ano. Em 2018, o primeiro período de “andada” da espécime, em janeiro, ocorreu entre os dias 2 e 7 e entre os dias 17 e 22. O segundo período começou agora em 1o de fevereiro, seguindo até essa terça-feira (6). Voltará entre os dias 16 e 21.

O terceiro período será em março, de 2 a 7 e de 18 a 23. “A multa, determinada no decreto federal, pode variar entre R$ 700 e R$ 100 mil, com acréscimo de R$ 20 por quilo ou fração do produto da pescaria, ou por espécime quando se tratar de produto de pesca para uso ornamental”, avisa o IMA, informando que “todos os animais apreendidos são devolvidos a seus habitats naturais”.