01/02/2018 13:39:43
Maceió
'Xangô rezado alto' resgata memória e celebra cultura do povo maceioense
Da Redação do Alagoas Boreal

Nesta quinta feira (2), acontece em Maceió a sexta edição do projeto “Xangô rezado alto”. A ação marcada para começar às 14h, em diversos pontos da capital, busca combater a intolerância religiosa, lembrando o episódio que ficou conhecido como o “Quebra de Xangô” – quando, em 1912, casas de culto afro religiosos da cidade e do interior do Estado foram invadidas e destruídas por uma milícia armada denominada “Liga dos Republicanos Combatentes”, seguida por uma multidão enfurecida.

O principal cortejo do projeto circula pelo Centro, saindo da praça Dom Pedro II, seguindo pela Rua do Comércio. A comitiva passa pela Igreja do Rosário – que se agregou às irmandades negras –, seguindo em direção ao Instituto Histórico e Geográfico, na Rua do Sol, onde se encontra guardado o maior acervo do período de 1912, incluindo artefatos que pertenciam às comunidades perseguidas no “Quebra de Xangô”. O cortejo continua até a Praça dos Martírios, onde estão instalados tablados para apresentações culturais de grupos ligados à temática.

Na programação estão grupos de afoxés, maracatus e orquestras de percursionistas. A participação desses grupos no “Xangô rezado alto” é feita a partir de convênio entre a Fundação Municipal de Ação Cultural (a Fmac) e o Ministério da Cultura.
O presidente da Fmac, Vinicius Palmeira, destaca no informativo enviado à Redação que o evento "é importante não somente para as comunidades tradicionais, mas para o resgate da memória cultural do maceioense”.

“É uma celebração do povo de santo e de toda Maceió, que diz não à intolerância, repudia a violência e segue na luta em busca do respeito.”

O coordenador de políticas culturais, também da Fmac, Amaurício de Jesus, afirma que a ação agrega “a quebra de preconceitos e o diálogo com a diversidade”. “O ‘Xangô rezado alto’ celebra a cultura e combate a intolerância. Não queremos mais esse tipo de perseguição, compreendendo a importância de atender à diversidade cultural da cidade. O evento promove também a cadeia produtiva cultural e reconhece artistas que estão agregados a esses ambientes.”

Além de representantes religiosos da capital e do interior, estarão presentes no evento Vinicius Palmeira, o secretário municipal de Turismo, Jair Galvão, e o reitor da Universidade Estadual de Alagoas (a Uneal), Jairo Costa.