28/12/2017 17:04:41
Sustentabilidade
Usina em Porto Calvo pode ser a causadora da mortandade de peixes em Porto de Pedras
Crédito: Fotos/ IMAPeixes apareceram mortos à margem do rio; população acusa usina
Da Redação do Alagoas Boreal

Poluição em toda parte das Alagoas. A má notícia, dessa vez, vem do município litorâneo de Porto de Pedras, distante 110 km ao Norte da capital. De acordo com informativo enviado à Redação, o Laboratório de Estudos Ambientais do Instituto do Meio Ambiente (o IMA) faz análise das amostras da água do histórico rio Manguaba, coletadas nessa quarta-feira (27). A ação faz parte de uma investigação acerca do aparecimento de peixes mortos nas margens do rio, cuja nascente está localizada no município vizinho de Porto Calvo (a 100 km de Maceió).

“Técnicos do laboratório e da gerência de monitoramento e fiscalização do IMA-AL estiveram no local após denúncias, constatando-se o grande número de peixes de espécies como carapeba, xira e moreia, mortos em faixa de areia da praia”, destaca a Comunicação do IMA.

O fiscal Genival Pucino revela que, além da análise da água em laboratório, uma investigação está sendo feita junto aos moradores, “que apontam uma usina como causa de possível poluição na foz do rio Manguaba”. O informativo do IMA, porém, omite o nome da usina.

Técnicos do IMA fizeram coleta nas águas poluídas do rio Manguaba nessa quarta-feira (27)

"Seguimos até Porto Calvo, onde está localizada a usina, e apesar de não ser verificado nas proximidades a mortandade de peixes, foram feitas as coletas de amostras para análise", afirma Pucino, informando que um total de três amostras em pontos distintos do rio foram coletadas.

O gerente do Laboratório de Estudos Ambientais, Manoel Messias, diz que “o processo de análise tem a duração de oito dias corridos”. "Serão várias análises, sendo o DBO (Determinação da Demanda Bioquímica de Oxigênio) o principal parâmetro a ser analisado. Com isso poderá se confirmar a carga orgânica que causou o desequilíbrio do corpo hídrico."

O resultado da investigação será divulgado – segundo o IMA – na quinta-feira (4), sendo encaminhado então para a fiscalização do instituto “para que sejam tomadas as medidas cabíveis”.