04/12/2017 12:22:40
Diversão e Arte
Exposição 'Sobre Olhares no Caminho', de Felipe Miranda, reúne fotos do cotidiano alagoano
Crédito: Divulgação'Gosto de texturas e cores, trouxe isso para a exposição', explica Miranda
Da Redação do Alagoas Boreal

Em Maceió, a exposição fotográfica “Sobre Olhares no Caminho” do artista Felipe Miranda, está aberta ao público no Museu Palácio Floriano Peixoto (o Mupa), seguindo até o dia 9 de dezembro. A mostra selecionada pelo edital de exposições temporárias lançado pela Secretaria de Cultura de Alagoas (Secult) e incluso no projeto Alagoas República das Artes, reúne imagens das belezas naturais do Estado, passando pelos litorais Norte e Sul, e Sertão de Alagoas, além de fazer referências aos 200 anos de emancipação política do Estado. O Mupa fica à Praça Marechal Floriano Peixoto, s/n, Centro, e é aberto para visitações de terça a sexta-feira, das 9h às 16h.

Segundo a comunicação da mostra, a junção das imagens faz sentido por contar “uma história”. “São sustentadas pela beleza das cores da natureza alagoana e a liberdade que delas emana, como se há 200 anos elas fossem mais fortes. Os personagens que estão presentes nos cliques contam sobre os 200 anos de emancipação de um jeito que apenas quem vive na pele a rotina do local poderia opinar. O objetivo é expor espaços que carregam a essência da alagoaneidade e sua força.”

Felipe Miranda
Rio São Francisco, no município de Piaçabuçu: onde crianças brincam e se banham

Miranda enaltece Alagoas dizendo que é mais bonito do que imaginam “a maioria das pessoas”. “São tantos lugares incríveis e pouco explorados no Estado. Eu vejo gente indo ao Maranhão para conhecer uma duna móvel, mas basta ir à Foz do Velho Chico para se apaixonar por uma."

Sobre o trabalho com as imagens, Felipe conta que não é “fotógrafo profissional”, mas, que fez as imagens “com muito amor”. “Gosto de texturas e cores, então tentei trazer isso para a exposição. São fotos que retratam o lado bonito da rotina onde você encontra canoeiros dos Cânions do Rio São Francisco, em Delmiro Gouveia, pescadores mirins do rio Tatuamunha, em Porto de Pedras, crianças da Ponta Verde em Maceió, de Olho D'água do Casado e de Piaçabuçu. O título da exposição é bem autoexplicativo. A mostra é sobre a Alagoas que eu enxergo. Tocante, viva e repleta de personagens importantes e comuns."